Manguezal com memórias alagadas
tentativas de esconder o emerso com lodo
luz
escuro
lembranças do absurdo
nada
escurece no velho mundo.

Cerveja
que não silencia,
só acorda.
Se revolta contra o luto,
enquanto a ampulheta
marca o passo das horas.
Memória
soma de todas as discórdias
que o copo calcula os acréscimos sem hesitar.

A4
que toda grafia incorrigível
errante
marginal
grita o casamento das dualidades:
caricatura da mente,
escreve
e só
sente medo
do coração não pulsar mais.

echoes_by_t_vieira

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s