Queimar vestidos é um ato de coragem

Se vestidos falassem eles se lamentariam,                    
mas vestidos não falam, então nada diriam.
 
O vestido pegou fogo suavemente,
o desespero escorria entre o pano.
Não houve dor,
só silêncio.                                                                        
O fogo não dançou sob a pele.
 
As feridas do vestido estavam expostas                            
e conversavam comigo.
 
Por vezes, a vontade de queimar ressurgia.
 
E nenhum poeta estará a salvo, meu amigo.
 
Nem os poetas.
Muito menos eles.
Muito menos eles.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s