Reflexão sobre o balde d’água

 

Baldes d’água jogados incessantemente no chão, jogados lentamente.

E com o pensamento acelerado,
a mil por segundo,
me pus a observar esta cena prosaica,
embora profundamente dantesca.

– Barulho de respiração profunda –

– Tentativa de orientar o pensamento –

Estou prestes a partir?
E se eu pudesse antecipar o fim?
Seria egoísmo?

Os baldes d’água jogados incessantemente no chão tinham um significado implícito?

– Esforço pra respirar –

– Pensamento desorientado –

Os baldes d’agua dialogaram com o meu momento íntimo de dor,
me deixando mais ilhada e sem ar.

Nenhuma droga alteradora da percepção foi mais reveladora
do que aqueles malditos baldes d’água.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s