A loucura ofende mais que corpos nus

 

Repentinamente,
o desconforto
e a sensação do ridículo.

O pensamento encardido           rosnando sem parar.

Os rostos:
incomoda vê-los,
suas fisionomias e expressões.

Repentinamente,
o algoz
que macera a razão.

A impotência pesa
mais do que uma folha.

A vontade de esconder-se
em um lugar seguro
onde haja só eu.

A loucura ofende mais
que corpos nus.

Isso é sobre aprender
a manusear a dor.

Esse desconforto.
Essa sensação do ridículo.
Essa impotência.

Isso é sobre ser forte
nas condições de ser fraco,
e ser fraco
nas condições de ser forte,
e não se definir
por um instante,
porque um ano tem 365 dias

20170807_211312

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s